TRADUTOR

Seguidores

domingo, 21 de janeiro de 2018

SABER CONHECIMENTO MÃE MARIA DE ANGOLA




Muitas são as perguntas que os filhos fazem, querem saber isso, aquilo e aqueloutro, esquecem-se que tudo tem o tempo certo para ser desvendado, há mistérios que aqui nesta Terra ainda não existe a possibilidade de serem desvendados, outros podemos falar apenas um pedacinho dele, mas muitos já foram muito bem elucidados e estão a disposição de quem se propõe a aprender.

No entanto,mesmo aqueles que foram desvendados, não o foram totalmente, pois existem coisas que é inalcançável para a mente humana encarnada ou desencarnada.

O saber não está à disposição para apenas um grupo de privilegiados, todos têm o direito de chegar até este saber, quem os passou o fez com a autorização de Olorum, passando os ensinamentos sem nada cobrar por ele, pois os passou com amor esperando que na humanidade todos que estivessem no tempo certo de aprender até eles chegassem.

A espiritualidade entende que existe na Terra um custo material para tudo que se queira fazer, então permite que se cobre os livros que foram editados contendo este saber,  entende que o médium que se dedica exclusivamente a este trabalho precisa com certeza sobreviver, mas não concorda quando filhos são vedados a aprender por não terem o dinheiro suficiente para entrar neste ou naquele curso. Claro que estou me referindo a ensinamentos religiosos. Umbanda é amor e fraternidade e como exemplificar isso se só é aceito quem pode despender de determinada soma.

Perguntamos, onde fica a fraternidade?
Onde fica o amor? Onde fica a fé? Será possível que a obra de um homem se desvirtue desta forma? Será possível que se tenha tornado o meio de vida para muitos? Sim porque vemos pessoas que abrem mão de seu dever sagrado do ganha pão de cada dia, exatamente para se dedicar a ganhá-lo através de seus cursos.

Tem o ponto de preto velho que diz: É devagar, devagarinho quem anda com preto velho nunca fica no caminho.


A espiritualidade não vai julgar ninguém, entende a necessidade dos templos, entende que se uns podem pagar e isto for dirigido para o sustento do Templo para que esse mesmo templo possa através de seus Orixás e entidades praticar a Umbanda atendendo, socorrendo a quem a este Templo chega sem onerar a corrente da casa, que muitas vezes entre os seus filhos existem quem mal têm o pão de cada dia, nesta condição então pode ser feita uma cobrança a quem pode pagar, pois o valor arrecadado gerará caridade seja para o Templo ou para quem nada tem e precisa de ajuda material.

Também a espiritualidade entende que quando o Templo para levar o saber a seus filhos precisa de pessoa graduada de fora do Templo esta pessoa deve ser ressarcida de seu trabalho a menos que abra mão deste ressarcimento total ou parcial.

Tornou-se necessário este esclarecimento, não para um determinado templo, mas para todos, que fiquem alertas e não desvirtuem o que a Umbanda é, paz e amor que gera fraternidade. Infelizmente já existem alguns que estão desvirtuando neste sentido e infelizmente os cabeças envolvidos não se dão conta disso.

A espiritualidade tem mais mistérios para abrir com certeza, mas aguarda o merecimento dos filhos, aguarda a maturidade destes filhos em matéria de evolução na fraternidade e aguarda esta febre que tomou conta dos filhos de Umbanda passar e caírem em si que é devagar, gradualmente e que nem todos que querem estão aptos a receber tais ensinamentos, pois ainda estão engatinhando na questão Fraternidade e na questão de anulação do ego.

Que Pai Oxalá esteja com vocês irradiando a fé pura e Mamãe Oxum irradiando o Amor puro o amor


ditado por Mãe Maria de Angola
psicografado por Luconi
em 21-01-17

sábado, 30 de dezembro de 2017

O VELHO ANO E AS SACOLAS PARA O TEMPO



Já está quase na reta final, sabia que mais de um ano de vida terrena não teria, um ano que valeria por muitas vidas, pois vivenciado foi por todos seres viventes. Chega dez minutos antes, ao longe vê o jovem ano chegando, é cumprimentado com reverência, afinal o jovem de um ano atrás é o ancião de hoje e cumpriu sua trajetória.


Abraçam-se, as lágrimas dos dois se misturam, o ancião sabe o que espera o jovem, o jovem emociona-se pela vitória do ancião.


Ambos em frente da fonte da vida, o sagrado Oceano, ergue suas mãos em direção ao infinito e faz sua prece. Então do fundo de seu eu, três sacolas surgem e o jovem ano indaga: _ O que são as sacolas?
_ Ah! Você também as tem, só que as suas estão vazias. Explico:
A primeira é a que guarda as boas ações de cada ser humano, está lotada, mas é leve.
A segunda, já pesada, guarda as más ações cometidas pelos seres humanos de forma inconsciente, pois eles não sabiam o mal que faziam, as mágoas que geraram, as evoluções que paralisaram.
A terceira bem mais pesada é as ações originárias da maldade humana, daqueles que desejaram realmente o mal de seu próximo conscientes do mal que faziam, praticaram-no apenas por vingança, por inveja, por egoísmo, ou pensando em si mesmo, no poder que iriam ganhar, no seu  enriquecimento pessoal. - Ele respira fundo e continua:
- Agora meu filho, como sabe nós viemos do Tempo, através de mim, graças a Mãe da Vida, gerou-se um novo ciclo. Portanto, eu envio ao Tempo Divino as três sacolas. A primeira será recebida e os créditos de cada boa ação contabilizada para quem a praticou. A segunda, O Tempo, dentro da Misericórdia Divina, irá proporcionar ações para que o ser humano inconsciente do mal que fez, tenha sua consciência despertada e assim alcance o arrependimento, tendo chances de evolução mais rapidamente. Agora a terceira sacola, o Tempo dentro das Leis Divinas, irá no tempo certo proporcionar a estes seres a paralisação para que decantem sua negatividade, podendo ou não neste processo se arrependerem e se voltarem para a Luz, mas este é um processo demorado e dolorido, às vezes passa séculos ou milênio, tudo depende de cada um.- Finaliza o ancião.
_ Sim, concordo, estes últimos serão julgados imediatamente, pois são arraigados ao mal. Os segundos terão novas oportunidades antes do julgamento, porque carregam já o Amor dentro de si mesmos, ganhando consciência através de atos de amor, poderão acertar seus débitos. Mas e os primeiros? - Conclui e indaga o jovem.
_ Ora meu jovem, os primeiros com certeza eram os segundos em vidas anteriores e nesta já conscientes acertam seus débitos e o Tempo levará a sacola deles a Lei Divina que a levará a Justiça Divina para que suas penas sejam quitadas.
_ Como Deus é sábio!
_ Sim, Ele ama incondicionalmente a todos. Agora estou cansado. - Dizendo isso o velho ano espalmou a mão para o infinito e uma espiral apareceu e ele colocou ali cada sacola que foi desaparecendo. Em seguida, espalmou a mão para o mar e uma luz intensa o envolveu, gerando-lhe nova vida. Ao término sua aparência era bela, um ancião que transmitia a fé, o amor a paz.
Então abraçou o jovem ano e a espiral apareceu e ele através dela ascendeu.
O jovem ano o olhava extasiado, mas logo uma voz que vinha do mar, disse-lhe:
_ Vá filho do tempo, estou gerando nova vida a todos seres viventes, a todo planeta. Você vai, leva a bagagem que o Tempo Divino te deu para cada ser e a espalhe como uma espiral girando, depois siga cumprindo sua trajetória.
A voz se calou e ele girando muito rapidamente no sentido do relógio, espalhava aquele pó prateado invisível aos olhos humanos. Quando terminou o relógio do tempo, marcava 00:01 , o novo ano iniciará.


Luconi
30-12-2017

Feliz entrada de ano, que as bençãos do Senhor estejam presentes em todo momento de nossas vidas e que nós saibamos reconhecer.


Feliz 2018

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

ZÉ PILINTRA E MARIA DO TOCO



Maria na beira da estrada,
no toco estava sentada,
sua tristeza era infinda,
não tinha rumo na vida.



Seu Zé vinha passando,
aquela moça tão triste,
sua atenção foi chamando,
então resolveu a sua mão estender.



Maria as lágrimas enxugou,
a mão de Zé aceitou,
ele com ela se foi,
Maria não mais chorou.



Maria do Toco a chamou,
para a Umbanda a levou,
seu mistério ativou,
Maria do Toco grande falange se tornou.



Mas difícil incorporar,
seu trabalho é recolher,
as Marias que em seus tocos se sentam,
para suas mágoas decantar.



Todas auxilio recebem,
quando curadas partem,
mas algumas por ali mesmo se ajeitam,
tornando-se então mais uma Maria do Toco.



Seu Zé feliz fica,
nos trabalhos ao seu lado,
sempre uma Maria do Toco,
tantas Marias recolhendo,
tantos corações curando.




ditado por Joel um curimba de Umbanda
psicografado por Luconi

em 10-12-17

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

UMBANDA E MAGIA




Umbanda é religião, umbanda não é magia. Não existe uma religião que seja magia. Símbolos sagrados existem em todas as religiões, válido é sim socorrer um irmão através de uma magia quando for necessário, quando considerar que é a melhor forma, mas dentro de teu ritual de magia, sendo um mago consagrado para a magia que invoca.



As entidades de Umbanda usam sim símbolos, usam pontos riscados muito deles podem  ser ou não ser uma mandala, por mais que se pareça com uma, mas essas “mandalas” são trabalhadas religiosamente e não como magia. Aliás qualquer mandala  pode ser invocada religiosamente que sempre haverá quem responda por elas, os Tronos Divinos receberão os pedidos e segundo o merecimento de cada um serão atendidos.



A mandala teria mais força se riscada e invocada por um Mago consagrado? Ou as feitas religiosamente têm menos força?


A resposta seria sim ou não, porque a força estaria na fé do religioso, na pureza de seu coração, na pureza de suas intenções.


Também nada adianta um Mago que não tenha firmeza em sua atuação fazer uma mandala para qualquer coisa, esta mandala pouca força terá.



Lembrando que o Mago deve tomar cuidado no que vai pedir, mesmo que seja a pedido de outrem, pois a maior responsabilidade será sempre sua, pois sendo um Mago pertencente a magia branca, não pode jamais violar as Leis Divinas, não pode interferir no livre arbítrio de ninguém e no caso da mandala estar desmanchando qualquer magia negativa, ou trabalho que veio contra o pedinte, ele deve evitar a todo custo de pedir o retorno desta magia negativa.



Lembrar-se que a Justiça Divina que a tudo vê, age na hora certa, no tempo certo de cada um. O tempo certo de cada um varia, não adianta ensinar álgebra a quem ainda está aprendendo as quatro operações básicas, o aluno se perderia. Assim é o espírito humano, só entende e aceita a lição quem chegou no estágio de recebê-la.  



Lembrando que toda verdade tem dois lados, que muitas vezes os dois lados estão errados, enganados, pois a verdade genuína é o terceiro lado que as limitações humanas não conseguem alcançar.


O basta para o ser que tantas maldades faz contra alguém a própria Lei Divina dá e existe sempre uma razão para que esta energia negativa aja.
Muitas vezes, ela só consegue agir realmente sobre aquele que acordou em seu espírito certas fragilidades, certas doenças da alma, outras vezes a atuação é permitida devido a aprendizado necessário para evolução  do irmão que se souber enfrentar a situação com paciência, sem alimentar ódios, sem culpar a Deus,grande aproveitamento terá, isso não impede que se defenda, isto é permitido , mas a vingança, o retorno é contra as Leis Divinas.



Estas regras básicas aqui mencionadas, tanto serve para quem age religiosamente como para quem age magisticamente. A Lei é igual para todos, independendo  da crença religiosa que tenham ou até mesmo se forem ateus.



Cuidado em se iludirem com fórmulas mágicas, cuidado em acreditarem que qualquer coisa pode atuar sem a permissão Divina, não existem fórmulas mágicas, neste mundo os valores se invertem facilmente, belas palavras encantam os ouvidos humanos e costumam até a arranjar boas desculpas para segui-las, mas infelizmente os levam ao mundo do ilusionismo, e só se deixa levar pela ilusão quem a ela está propício pelas facilidades que oferece ou pelo caldeirão rico que prometem no final de um arco íris que ninguém enxerga.



Apenas queria lhes passar estes alertas, pois hoje em dia muitos mistérios foram abertos, mas infelizmente nem todos estão preparados para vivenciá-los, cada um deve ouvir o Divino que existe dentro de si, para não cair no abismo da ilusão. E só um pedido não misture a religião com a magia, eu atuo na magia dentro da religião quando é necessário, mas apenas para auxiliar nas limpezas necessárias e mesmo assim quando um representante dos Tronos Divinos ou me aciona ou permite que uma entidade da Umbanda me acione.



Ditado por uma Maga do Fogo
psicografado por Luconi

em 29-11-17