TRADUTOR

Seguidores

terça-feira, 7 de junho de 2011

PRESENTE DE AMOR BONDADE DE DEUS



PRESENTE DE AMOR, BONDADE DE DEUS.


Estava eu muito triste, sentindo muito a falta dos irmãos que frequentavam meu antigo templo, que com minha mudança de
cidade e também a mudança de meu irmão que o comandava,
acabou fechando. Médium há trinta e sete anos, vivendo para a religião, agora sem ter um templo para frequentar me sentia
muito só, e uma sensação que ainda devia procurar um templo.

Já fazia dez anos que longe de São Paulo estava nunca mais havia tido notícias de alguns irmãos muito queridos, e a saudades apertava meu peito, então eu tive um sonho com meu querido pai, falecido já há trinta e dois anos.

Encontramo-nos e muito conversamos não me lembro de quase nada, a não ser que ele deixava claro que lá ele seguia um trabalho, ele não era meu pai, mas um trabalhador da grande seara. Vi o trabalho que faz, mas não tenho permissão para revelar, principalmente porque ele usa outro nome neste trabalho.

No entanto no final do sonho quando nos despedíamos, eu contava a ele que não tinha encontrado um templo para trabalhar e não tinha condições financeiras para abrir um.

Ele sorriu e me disse: Ah! Filha, tenho te encontrado em tantos templos de umbanda.
Eu o olhei sem entender, mas antes que pudesse perguntar acordei.

Na hora não entendi o que ele dizia, depois de dois ou três meses, estou acordando e vejo (regularmente não sou vidente) um cavalo branco com um soldado romano em cima, que simplesmente pulava a cama e desaparecia.

Fiquei ali deitada querendo rever, e então fiz uma prece de agradecimento a Deus, um soldado de luz, um guerreiro de Ogum me visitara, eu estava extasiada.

Levantei-me e estava terminando de me trocar, quando escuto gritos de meu filho que vem chegando de São Paulo.

-Mãe, mãe olha quem veio te ver.
Corro ansiosa, lembrando-me da visão.

Lá parado a minha porta, estavam meu sobrinho, filho de Umbanda muito querido, com sua esposa não menos querida, ele muito emocionado olhou pra mim e disse :

-Minha tia, me coroei, preparei-me para o sacerdócio de nossa religião, e esta espada é de meu Pai Ogum, eu a consagrei a ele, em minha coroação, hoje eu vim para te ofertá-la.

Não imaginam, não podem imaginar a alegria que explodiu no meu peito, chorei, chorei muito e ainda hoje choro de emoção ao lembrar-me.

Para maior alegria minha, fiquei sabendo que outros filhos queridos o seguia, fui para o meu quarto ajoelhei-me e agradeci a Deus, a Nosso Sr. Jesus Cristo e a Oxalá, algumas sementes brotaram, tenho certeza que eles são espíritos  repletos de amor e que a fé e o esforço próprio de cada um é que fizeram-nos levantar a Bandeira do Amor .

Sei que os méritos são exclusivamente deles, pois eu os abandonei há dez anos, mas mesmo assim entendo o que meu pai disse no sonho, tenho te encontrado em muitos templos de Umbanda, ele encontrava minhas sementes florindo.

É por estas flores que se colhem pelo caminho, que renovo minhas forças e digo, não, não posso parar, e mesmo sem ter um templo para ir, estou aqui neste blog, tentando passar a vocês o quanto é importante fazermos uma Umbanda com fé, amor e caridade.

Procurarmos ensinar que a Umbanda é Cristã sim, pois é exatamente NOSSO SENHOR JESUS CRISTO NOSSO REGENTE PLANETÁRIO, e nada acontece sem a sua autorização.

Avante, com muita fé e amor.

PS: Isto aconteceu em março de 2.009, hoje triste, saudosa, querendo estar lá, pertinho deles, abrindo a pasta de meus textos não publicados, encontrei meu relato, chorei novamente, suspirei fundo e disse:

-Sempre valerá a pena.
 Fiquem na paz de Oxalá. 
Luconi



5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. OLá Luconi!!!

    Eis aí um relato na perfeição.
    Na vida compreendemos missões, onde postamos ao trabalho, outrora marcado em nossas agendas do tempo. O que se consagra a dizer que o acaso não existe e onde quer que estejamos haverá sempre o momento prometido, aquele em que temos que nos postar em ação.
    Não importa em que casa seja, o que importa é que somos levados a ele ainda que o mundo dê muitas voltas jamais podemos nos achar perdidos diante da misericordia divina com que nos agraça o coração em face de nossa boa vontade e discernimento para o propósito abraçado.

    Maravilhoso. haveria muito pra dizer um assunto complexo, mas tudo a seu tempo.

    Minha amiga,
    Eu sou espírita. Nasci em berço de ouro, digo isto porque quando nasci meus pais já o eram e me deu como herança esta ciência maravilhosa Luz, verdade e vida. Cada templo tem sua ordem no trabalho feliz e não importa como seja comungado a seita, o importante é que estejamos sempre a trabalhar em prol do bem, ao amor do proximo seguindo nossa caridade em ação...

    Um grande abraço para ti
    e obrigada pelo convite de aqui estar.

    Beijos
    Fica na paz de Deus...

    Livinha

    ResponderExcluir
  3. Olá poetisa vim te parabenizar pelo texto tão carismático.Sempre bom te ler e repensar.Abraçose paz a ti.
    Ah não sei como compartilha posts.Ou sei e não sei explicar.

    ResponderExcluir
  4. Que maravilha Luconi,um texto real de uma vida voltada para a fé que processa e com voce tambem assino esta afrmativa da Umbanda e a religião.Muito boa amiga.
    Meu abraço de paz e luz.
    Bju.

    ResponderExcluir
  5. Mas que linda essa história,Luconi!Deus nos fala por sinais misteriosos!Vc continua plantando essas sementes em seus blogs tb!Linda msg!Bjs,

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES