TRADUTOR

Seguidores

sexta-feira, 13 de maio de 2011

PRETOS VELHOS O VERDADEIRO PRESENTE



Vamos festejar, a festa vamos armar e estes soldados do amor, vamos homenagear.

Dia e noite, noite e dia não tem hora para eles, a caridade é a flor que semeiam com louvor.

Tragam as flores tão belas para o conga enfeitar, o tutu de feijão na panela já está, o cafezinho amargo lá não pode faltar e o vinho tinto para coroar.

Então louvamos a Deus, cantemos a Nosso Senhor, e pedimos a Oxalá licença para a festa começar, estamos todos felizes querendo logo abraçá-los.

Mas olha só quem chega o querido Pai João e em seguida vem vindo o amado Pai Tião que segue o Pai João pois de Angola também é, Pai Tomé está atrasado, talvez seja por que ele está apanhando guiné, não sei mas de contra partida chega os Cambida, que nosso terreiro é muito rico deles, Vovó,  Mãe e Pai Cambinda todos estão presentes. Mas olha só quem chega, vem devagarinho é o Rei Congo que sempre vem sozinho, mas neste dia traz o Pai Benedito, não podia faltar o querido Pai Jacó que aproveitou e trouxe Pai José e o Pai Antonio, mas que alegria tia Rita está presente, e a querida mãe Maria já foi se assentando.

Mas estou preocupada, onde está o Pai Tomé e a querida Mãe Dita, logo, logo descubro eles vêm chegando e com eles vem trazendo a falange querida dos Pais Nazarendos, pronto eu pensei a festa está completa, podemos começar servir os preto velhos.

Mas qual o que minha gente, esqueci que faltavam três negos bem queridos, eram eles Pai Tomás, Zé Pilintra e Maria Redonda, que já vieram dizendo se é festa de negô nois não pode falta.
Então eu pensava que já ia servi-los, foi quando a Mãe Dita falou, Pai João que festa bonita os fio fez pra nós, mas antes de come, temos que trabaia um bocadinho. Eu argumentei, hoje é festa, os filhos vieram festejar, não vieram para atendimento.
Então Pai João falou: É minha filha pra nóis não tem festa sem caridade, é o jeito de agradece a Nosso Senhor tudo o que Ele tem nos dado, e óia fia que é muito.
Que bão não tem ninguém para atendimento, então nega pode traze o que todos os nego deixaram na porteira, incorpora aqueles que mais tive necessidade de receber o ectoplasma direto dos médiuns.
Então entendi porque de tanto pretos velhos que a vidente dizia que nunca tinha visto tantos, cada um trouxe um bocadinho das almas perdidas que foram encontrando no caminho.
Começaram com uma linda oração a Jesus de Nazareno:

Senhor Jesus, médico dos médicos, do corpo e da alma, volvei Vosso olhar pra esses nego que aqui estão pedindo por estes fio que encontramos pelos caminhos, errantes e sem rumo certo, trazendo dentro do fundo do seu ser a dor mais triste que há, que é a dor daqueles que se acham esquecidos. A dor da incredulidade, a dor do desamor que por ignorância plantaram em suas jornadas terrenas.
Acreditamos Mestre que se foram colocados em nosso caminho é porque chegou a hora de ampará-los, é porque cansados de sofrer estão com o coração aberto para as boas novas, estão prontos para clamarem por ti.
Vós não olha nóis que somo tão pequenos, por favor olha eles que tanto já sofreram e sofrem, permita Senhor que nóis  os encaminhemos para a sua Luz.
E nós agradecemos, pois é o Melhor presente que estes nego recebe nesta festa deste dia, Nosso Senhor Jesus esteja conosco.

Fizemos uma grande roda, e mentalizamos muito amor e Jesus no meio de nós, como Pai João mandou, muitos sentiram o perfume de rosas que se tornou muito forte, e a vidente disse que pétalas de rosas caiam em cima daquelas almas, que segundo ela estavam no meio da grande roda. Disse também haver todo o tipo: uns pareciam mendigos, outros extremamente doentes, outros com feridas enormes pelo corpo que pareciam estar lotadas de bigatos, alguns nus com deformidades pelo corpo, disse ser muito triste o quadro.
Mas disse que junto com as pétalas, irmãos que pareciam enfermeiros davam passes regenerativos, em seguida como as colocando para dormir, as levavam em seus braços.
No final havia restado poucas, as muito deformadas, e estas que somavam uma meia dúzia alguns médiuns tiveram seus pretos velhos desincorporados e as receberam em seus corpos, para que se beneficiassem diretamente do ectoplasma deles, e como estavam um tanto dementes, os negos conversaram com elas e ao mesmo tempo os tais enfermeiros as assistiam.  No final todas foram levadas, devo dizer que havia muitas irmãs de caridade, vestidas de freiras e alguns frades entre estes enfermeiros.

Terminado todo o trabalho, a alegria que tomava conta de todos os presentes filhos  era evidente, sentia-se no ar.
E mãe Dita disse, pois é mia fia, é a melhor forma de comemorar, tenha certeza nós somos os que mais recebemos, pois pensam que fazemos caridade, mas vocês se enganam nós quando trabalhamos recebemos a maior caridade que alguém pode receber, recebemos a caridade de poder ser útil através de nossos trabalhinhos e com isto pagar nossas dívidas com a humanidade.

Agora, diz pai João, ta muito tarde, os cavalinhos tão cansados, então coloca toda esta comida pra nóis benze, que é o que queremos, benzer e dar pra oces comer, comam e pensem que estão curando todo o mal que está com oces.
Nóis aceita um golinho de café amargo, e depois vamu embora, que temo que dar uma olhadinha ainda naquelas alminhas que se foram, nóis a enviamos, nóis precisa vê se precisam de algum trabaio nosso para ajudá alguma, fora o trabaio de um monte de fio.

Assim foi feito, e agradeceram a Jesus mais uma vez e no som do ponto que pediram foram se indo embora, e no recinto pairava o perfume das rosas e uma paz enorme.

Ta nascendo flor,
Ta nascendo flor,
No céu na terra,
Ta nascendo flor,
Preto-velho faz,
Preto-velho faz,
Um grão de areia,
Vira flor.

A TODOS OS PAIS E MÃES VÓS E VÔS QUE SEMPRE NOS ENSINARAM A PLANTAR A CARIDADE E NOS EXEMPLIFICARAM O AMOR, PLANTANDO FLORES EM NOSSAS VIDAS



MINHA ETERNA GRATIDÃO

AMO VOCÊS


LUCONI Com a ajuda da mãe Dita
Em 13-05-2011

6 comentários:

  1. Meu Deus,que festa mais bonita!Como adoro os pretos velhos tão humildes e cheios de amor!Lindas orações e trabalho!Que o nosso Pai os abençoe e ilumine sempre!Obrigada de coração a todos esses irmãos que praticam a caridade!Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Que festa hein, Marcia?! Interessante como a modalidade do discurso denuncia a cultura, o modus vivendi de quem enuncia, veja como no texto a referência às entidades é feita utilizando-se termos da esfera da família(pai, tio, tia...), ou seja, há uma relação de proximidade enter o homem e seu Deus, não há distanciamento,isso expressa a belíssima cultura africana, carregada de afetividade e de amor.
    Parabéns pela postagem.

    ResponderExcluir
  3. Vocês poderiam me passar um e-mail que eu pudesse mandar um texto que fiz dedicado ao blog? Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Querida Luiza, teremos prazer em receber seu texto e publicá-lo dando-lhe os devidos créditos, não sabe como ficamos felizes ao receber textos assim, pois este blog não é só nosso, é de todo irmão que aqui adentra com amor no coração. O email é mmluconi@gmail.com. Aguardo ansiosa seu texto, beijos Luconi

    23 de maio de 2011 20:42

    ResponderExcluir
  6. Gostei do que li,estou sempre procurando explicaçoes e coisas novas no meu aprendizado,nada e de mais qdo.acumulamos conhecimento de outras culturas.

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES