TRADUTOR

Seguidores

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

PAI BENEDITO ESCRAVOS DE SI MESMOS



Eta mundo complicado, eta gente escravizada, nossa pensei que a escravatura tivesse extinta com a abolição, mas não, a escravatura do ser humano por imposição do próprio homem, que escravizava um irmão para apropriar-se de sua vida e utilizá-lo como bem lhe proviesse, colocando-o a seu serviço, tratando-o como um animal simplesmente porque ele era negro, esta escravidão foi abolida sim, nós negros conseguimos liberdade para podermos escolher nossa forma de viver.


 Isto, esta liberdade foi à custa de muita luta como sabem, nós apesar de sermos escravos, não por opção, não tínhamos medo de nosso sinhozinho e abríamos nossa boca e expúnhamos nossos pensamentos e semeávamos a semente da liberdade, mesmo correndo o risco de acabarmos no tronco, mesmo sabendo que às vezes de lá alguns vivos não saiam, lutávamos pelo nosso ideal, lutávamos para conseguir a igualdade, lutávamos contra os preconceitos e muitos lutam até hoje.

Mas e vocês, brancos, pardos, amarelos ou negros que hoje vivem nesta terra abençoada, onde agora todos são livres, portanto nascem livres de pais livres, e com o decorrer dos anos se tornam escravos, vão criando correntes que os atam de tal forma que imobiliza as suas mentes, que faz com que esqueçam antigos ideais, que impede de vocês semearem a semente daquilo que realmente acreditam, o que vocês são?  Escravos da máquina social, escravos das condições materiais que almejam, escravos de sua própria covardia em assumir aquilo que realmente acreditam, escondendo-se em quilombos onde não propagam a liberdade, mas sim semeiam ali a semente daquilo que acreditam, mas ao mesmo tempo plantam o medo para os irmãos de seus ideais, iniciando sim as primeiras correntes em suas mentes que os tornarão escravos desta máquina que vocês chamam de liberdade.

Triste é este quadro, são muitos que assim agem, muitos têm vergonha de se dizer crente em Cristo, irá parecer piegas se o fizer, têm vergonha de citar exemplos cristãos, têm vergonha de falar que oram, outros têm vergonha de propagar a doutrina que acreditam principalmente se estão num meio onde esta doutrina é erroneamente considerada demoníaca ou não cristã. 


Inclusive às vezes perdem a oportunidade de auxiliar o próximo, com medo que alguém descubra a sua verdadeira crença, se estivéssemos na época de Cristo na terra, seriam iguais àqueles que abandonaram o Mestre na hora da prova crucial, iguais àqueles que se viraram contra ele, por pura covardia, não por não acreditarem, por preferirem conservar uma situação mais cômoda durante sua vida na terra.

Que pena, além de não semearem a semente do Amor Universal, do amor ao próximo tão pregado por Cristo Jesus, além disto, semeiam a semente da covardia, da materialidade, da hipocrisia, do preconceito, realmente é uma pena.

Hoje este nego está triste, hoje este nego precisava por isto para fora, no entanto este nego sabe que pouco vai adiantar, os pobres escravos da vida irão ter argumentos para se disser inocentes, dirão que é a sobrevivência que os obriga a isto.


Mas eu vos digo, a semente deve ser plantada exatamente nos meios em que a adversidade impera, ora bolas não precisa plantar a semente onde ela já está plantada, onde ela já está plantada tem que ser cuidada com amor e desvelo, reúnem-se os iguais para ganharem força para a luta, para a semeadura.

Nada é o acaso, se o PAI os fez médiuns e vos deu um campo adverso ao que acreditam para conviverem, é exatamente para que a semente ali seja plantada, de forma inteligente e com cautela, mas plantada e não agirem como covardes tornando-se hipócritas ou falsos profetas.

Aliás se vocês se envergonham da doutrina que acreditam é porque realmente não acreditam, deveriam voltar-se para dentro de si mesmos e verem o que os incomoda na doutrina, vão descobrir que o que os incomoda é exatamente o espetáculo que muitos fazem na prática desta doutrina que realmente não precisa destes espetáculos.

Tudo evolui, e os nossos seguidores vêm evoluindo aos poucos, muitos já entendem que não há necessidade de certas demonstrações, de certos materiais, que realmente utilizamos porque era esta a única forma dos filhos primitivos acreditarem, pois eram apegados demais à materialidade. 


Agora a maioria daqueles que se envergonham estão presos à forma mais primitiva da religião e se recusam a evoluir, a dar um passo a frente, então acabam se envergonhando da religião que praticam, porque esta pratica vai contra a sua racionalidade, mas ao mesmo tempo radicais que são não abrem os ouvidos para a evolução.


Agora preciso voltar para os trabalhos, estão de mim precisando, são filhos amados que me chamam, vou incorporar meu médium, sentar no meu banquinho, dar o melhor de mim dentro do que o Pai permite, dentro da Lei, e ver os filhos queridos se aliviarem confortados, depois vou deixar um conforto especial pro meu cavalinho que amo tanto, e sentir muita pena deste povo que nunca está em paz, simplesmente porque têm vergonha do que são.

Que Oxalá sustente a vossa fé e Nosso Senhor Jesus Cristo os abençoe.

Ditado por Pai Benedito
psicografado por Luconi
30-12-2011

3 comentários:

  1. Pai Benedito tem razão,vivemos a pior escravatura Luconi e só mesmo Nosso Senhor para nos acordar e libertar destas correntes pesadas.Esta recusa é mais do que uma escravidão.Meu carinhoso abraço amiga.Bju.

    ResponderExcluir
  2. Uma bela mensagem de Pai Benedito, temos que ter coragem de ser quem somos e de plantar a semente do que acreditamos e "aduba-la" com muito amor, para que a verdadeira liberdade e amplitude de consciência floresça entre todos.
    Paz em ti querida, beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcia uma linda e verdadeira mensagem de Pai Benedito.
    A pior escravidão é aquela que muitos se impõem por medo e vergonha de se mostrar como são,deixar transparecer a verdadeira alma é uma ato de coragem.
    Obrigada por compartilhar,beijosss

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES