TRADUTOR

Seguidores

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

SEJAM IGUAIS A MARIA SEM-VERGONHA




A hora é avançada, mas estava no jardim, observava as rosas e jasmins, as rosas tão belas e os jasmins tão perfumados.

Lá neste jardim, há uma enorme quantidade de flores, tem cravos, tem lírios, têm margaridas, e muitas outras, cada espécie ocupa um canteiro, mas olhando de longe parece que estão misturadas, não se sabe onde começa um canteiro e começa outro, é muito lindo de se ver, as cores das flores são tão vivas e os aromas tão deliciosamente acentuados, nossa é realmente um sonho.

Mas de todas as flores que existem pelos jardins desta colônia espiritual tão especial, as que eu mais gosto de ver são as do campo, aquelas que na Terra dão em beiras de estradas, ou se encontram pelo meio das matas, ou talvez quem sabe aparecem nestes canteiros na calçada onde vocês plantam árvores e elas de repente sem que ninguém saiba explicar como surgem, principalmente uma que é bem teimosa, que chega de mansinho, ninguém se dá conta e quando vai ver toma conta de todo espaço, como se quisesse dizer aos homens “ Ei estou aqui me vejam “, quem seria esta florzinha, senão aquela que vocês na Terra deram o nome de Maria Sem-Vergonha, não sei porque, afinal ela nem é rubra mas sim lilás, branca e até azul bem clarinho que é para não aparecer muito.

Gosto muito desta florzinha porque ela me lembra de algumas das mais importantes qualidades que o ser humano deve cultivar a humildade, a paciência, a perseverança, quisera que todo filho que viesse aos meus pés em um centro, eu pudesse transmitir estas qualidades tão especiais desta florzinha.

Que em sua singeleza se torna tão bela, tão pura, tão especial, mas é tão difícil para a maioria dos encarnados entenderem este tipo de beleza e mais difícil ainda conseguirem entender as qualidades que ela encerra.

Quisera que todos entendessem, dirigentes e filhos de um Centro de Umbanda, que não é necessário todo o aparato que usam para incorporar seus guias e atender os filhos que vêm na assistência, que a única coisa que precisam é ter dentro de si uma fé verdadeira dirigida ao nosso CRIADOR e com certeza um grande e puro amor como Nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou.

A Umbanda é simples como as flores do campo, tem que ser praticada de forma humilde, na verdade os guias que vêm para  trabalhar não precisam de roupas do estilo da falange que pertencem, não precisam de enfeites, não precisam de pompa, precisam sim de trabalho, de filhos para atenderem e praticarem a caridade, precisam sim para cumprirem sua missão, para evoluírem e evoluírem seus médiuns, precisam  sim de terem a oportunidade de serem ouvidos no que se refere a doutrina religiosa, para que todos entendam que estão ali com a finalidade espiritual dos filhos sejam do corpo do centro ou da assistência, e não estão ali como erroneamente muitos pensam, atender pedidos materialistas ou resolver questões puramente terrenas do dia a dia dos filhos aqui nesta Terra.

O dia que os Umbandistas se unirem, sem radicalismo, entendendo que realmente tudo tende a evoluir e que a Umbanda segue esta mesma evolução, pois esta é a vontade do Pai que tudo siga a linha da evolução para que um dia possam retornar a ele, o dia que entenderem isto de tal forma que ao invés de apontar erros de outras casas de caridade, comecem  a semear o verdadeiro amor, entendendo que a mediunidade não é nenhum poder especial, muito pelo contrário, é só uma forma que o espírito encarnado tem de resgatar seus antigos débitos com a humanidade, não sendo melhor que ninguém  e nem mais sábio por isto, a Umbanda finalmente começará a seguir o real caminho traçado para ela por Nosso Senhor.

Bem já falei demais, vou voltar ao jardim, lá daquela colônia que para mim é muito especial, pois é onde eu refaço minhas energias, é onde me uno com os outros moradores para traçarmos metas e aonde Pai Ogum nos orienta dando-nos missões, aceitando nossos pedidos e nos direcionando em como agir com cada filho encarnado ou desencarnado que a Lei transgrediu.

A colônia a que eu pertenço é a Aruanda, enquanto eu vou me inebriar com a beleza das flores, fiquem vocês pensando naquela que eu mais admiro a “Maria Sem-Vergonha”, sejam como ela, persistentes, pacienciosos, mas acima de tudo HUMILDES.

Que Oxalá os cubra com o seu manto, para que a paz os invada e a fé se redobre dentro de cada um,

Ditado por Pai Tomé de Aruanda
psicografado por Luconi
30-11-2011

4 comentários:

  1. Aumentou ainda mais minha admiração por você, não sabia que psicografava, hoje vi o link no Facebook e aqui me transportei para ler este maravilhoso texto, se assim posso chamar, pois não considero a psicografia como como um texto, mas como parte de nosso universo, parte de nosso aprendizado, achei simplesmente maravilhoso, abraços deste fascinado Alê.

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcia, Aruanda é uma cidade de Luz maravilhosa, já tive o prazer de visitá-la extrafisicamente e sempre quando preciso peço pra ser levada pra lá, os amáveis pretos velhos sempre vem me buscar e não dá mais vontade de voltar rsss
    Saravá a todos os nego véios e povo de Aruanda!
    Beijos amiga e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. Não posso dizer que sou conhecedora da Umbanda, amiga! Mas concordo com essas palavras totalmente.
    És o máximo, minha querida! Adoro passear pelos teus blogs.
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  4. gostei muito dessa mensagem; nao faço parte dessa religiao mas estou gostando dos comentarios que tenho lido.

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES