TRADUTOR

Seguidores

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

LOUVOR DE OXUM E IANSÃ


O mais lindo canto,
tomou conta das matas,
provinha lá do rio,
pertinho da cachoeira.

A mata silenciou,
caboclos de Oxóssi se ajoelharam,
e lá nas pedreiras,
caboclos de Xangô ao chão se prostraram.

Era este canto de louvor, 
louvor ao Criador,
bendizendo as maravilhas,
louvando com amor.

Tão mavioso canto,
provinha de muitas caboclas,
umas cantavam no rio,
outras na cachoeira.

Agradeciam e pediam,
pelos filhos da Terra,
que de suas raízes esquecidos,
tanto males causavam.

Suas lágrimas rolavam,
em flores se transformavam,
 era o Pai que lhes enviava,
a bênção da esperança.

Nem tudo perdido estava,
o Pai as abençoara,
 a esperança renascera,
a vitória DELE seria.

Ditado por Joel
psicografado por Luconi
em 26-10-2011

3 comentários:

  1. Oi Luconi!

    A natureza é maravilhosa.
    E o respeito, o amor que estas lindas Entidades tem por ela é especial!

    Amo a Umbanda.
    Amo os Índios.
    Amo os Pretos-Velhos.

    Sinto um carinho imenso por eles, não sei de onde e não sei porque.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Como filha de Oxum que sou, admirei demais esse lindo poema, e a imagem da cachoeira linda demais!
    Gosto muito daquele ponto...eu vi mamãe Oxum na cachoeira, sentada na beira do rio, colhendo lírios...
    Beijos á ti Luconi e meus agradecimentos ao Joel por nos proporcionar tão belo poema!

    ResponderExcluir
  3. Mais um belo texto que nos dá a possibilidade de ler, amiga!
    Beijinhos, muitos!

    ResponderExcluir

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES