TRADUTOR

Seguidores

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

MEDIUNIDADE NA MESA KARDECISTA E MEDIUNIDADE NA UMBANDA.


A mediunidade no chamado espiritismo de Mesa é acentuadamente mental, as comunicações são quase telepáticas, os espíritos atuam mais sobre a mente dos médiuns.

Espiritismo de Mesa não tem a missão de atuar no baixo astral contra os elementos de magia negra, como acontece com a Umbanda.


 Ele é quase exclusivamente doutrinário, mostrando aos homens e espíritos desencarnados que não encontraram a luz, o caminho a ser seguido para evoluírem espiritualmente em direção a Deus.


 Mostra portando o caminho iluminado, as razões de tantos sofrimentos e como evitá-los através do amor a Jesus, dos ensinamentos por Ele deixado, diga-se de passagem, missão muito importante, pois tem evitado muitas quedas dos encarnados e auxiliado a muitos desencarnados o caminho da luz.

A defesa do médium kardecista consiste quase exclusivamente na sua conduta moral e elevações dos sentimentos.

A mediunidade do médium ou cavalo de Umbanda é bem diversa do médium kardecista, considerando que um dos principais trabalhos da Umbanda é atuar no baixo astral,submundo das energias degradantes e fonte primária da vida.

Os médiuns de Umbanda lidam com toda sorte de tropeços, ciladas, mistificações, magias e demandas, lutando pela luz contra espíritos sumamente poderosos e cruéis, devido a isto os médiuns de Umbanda têm o seu desenvolvimento realizado com uma técnica específica, para se resguardar das vibrações e ataques das faladas falanges negras, ele tem que se valer dos elementos da natureza: banhos de ervas, perfumes, defumações, oferendas nos diversos reinos da natureza, jamais sacrifícios, jamais derramar sangue, quem o faz não é umbandista.


 Mas como explicava acima o médium se vale dos elementos da natureza como meio de defesa e limpeza da aura.

Torna-se indispensável à proteção constante de seus Guias e Protetores espirituais, em virtude que participam de trabalhos mediúnicos sempre com a intenção de ajudar aos necessitados não se importando se for o caso de enfrentar as falanges negras, que tendo que recuar diante das falanges de Luz, ficam sempre a espreita esperando uma oportunidade de desforra.

Por isso a defesa espiritual do médium é feita por uma verdadeira tropa de choque, comandadas pelos experimentados Orixás, em nome de Deus, os médiuns são vigiados atentamente contra investidas adversas, pois infelizmente na Terra ainda é bastante rara a conduta moral superior, esta conduta por si só, seria uma proteção natural do médium.

Espírito que reencarna com o compromisso de cumprir missão na Umbanda, recebe no astral, antes da reencarnação nos complexos nervosos ou chacras um acréscimo de energia vital eletromagnética, necessária para suportar a pesada tarefa.

Por isso tanta diferença nos trabalhos de Mesa Branca e nos de Umbanda, mas todos são extremamente necessários na Terra, por isso deveriam unir-se, afinal o arquiteto projeta, o pedreiro constrói, mas alguém tem que limpar o terreno e fazer fundações seguras.

Texto baseado no livro “Lições de Umbanda e Quimbanda na palavra de um Preto Velho” autor W.W. da Matta e Silva, relato de Pai Ernesto de Moçambique.

Um comentário:

SEJAM BEM VINDOS FICAMOS FELIZ COM SEUS COMENTÁRIOS QUE NOS INCENTIVAM E ACARINHAM NOSSOS CORAÇÕES